icon-jcc

Iguatemi .mag

Iguatemi recicla mais de 65 toneladas/mês de lixo e eleva renda de comunidade

A destinação responsável de resíduos sólidos, motivo de discussão e preocupação para autoridades ambientais do mundo inteiro, é uma das ações desenvolvidas pelo Shopping Iguatemi Fortaleza. Atualmente, mais de 65 toneladas de lixo são recicladas por mês através da Estação de Pré-Reciclagem (EPR) que funciona no empreendimento.

Em vez de jogados em aterros ou lixões, itens como papelão, papel branco, plástico e latas são encaminhados para empresas especializadas que tratam o material, transformando-o novamente em matéria prima.

 

Desde 2010, o Iguatemi mantém convênio com a Associação dos Catadores do Jangurussu (Ascajan), encaminhando para a entidade todo o material reciclável coletado no shopping. Grandes lixeiras nas docas de serviço induzem os lojistas a fazer a correta separação dos resíduos, principalmente papelão, mas também papel, plástico, metal e vidro. Além disso, o shopping disponibilizou uma prensa hidráulica para facilitar o trabalho dos catadores.

 

Ao todo, cerca de 70 associados são beneficiados diretamente com a doação do material pelo Iguatemi. Através dessa parceria, a renda da Ascajan triplicou. “Temos essa preocupação diária de fazer a coleta seletiva e fazer com que esse material, (mais de 65 ton/mês) em vez de lixo, vire dinheiro para a comunidade”, atesta o gerente de Manutenção do shopping, Paulo Bandeira.

 

Além de evitar que esses resíduos sejam despejados no meio ambiente, o Iguatemi reduz os custos de coleta de lixo, gerando, ainda, empregos diretos e indiretos.  “Isso representa nosso compromisso com o meio ambiente”, resume Paulo Bandeira.

 

Coleta

São várias as iniciativas para facilitar a coleta seletiva no Iguatemi. Nos corredores do shopping, as lixeiras já têm separação para os clientes descartarem papel, plástico e metal de forma organizada. No estacionamento, há uma Estação Ecológica com espaço para depósito de papel, vidro, plástico, metal, óleo e baterias.

O objetivo é evitar que esses materiais tenham como destinos as ruas, calçadas e, muitas vezes, a natureza. “As grandes empresas precisam ter esse papel de contribuir para a criação de uma cultura ambiental”, avalia a gerente de Marketing do Iguatemi, Ana Rachel Mendonça.