É possível conciliar trabalho e relacionamento? Conversamos com casais que são sócios na vida e na profissão

Um relacionamento é feito de espaços. E, tão saudável quanto estar coladinho, é o tempo de estar sozinho, de direcionar sua atenção para outra coisa, como na vida profissional, por exemplo. Mas e quando esse espaço profissional também é compartilhado com o seu amor? Como não se deixar contaminar pelos problemas do dia a dia? Para entender melhor como equilibrar esses dois papéis, conversarmos com 3 casais que são sócios no amor e no trabalho.

 

 Bia, Aline e o Cappuccino

A história de Bia e Aline começa em Mossoró, cidade natal das duas. Elas começaram a namorar em 2015, mas logo uma proposta profissional mudaria tudo. Aline veio para Fortaleza para trabalhar em um escritório de advocacia. Pouco tempo depois, Bia que já tinha a Cappocce, uma empresa de cappuccinos artesanais, também se mudou para a capital do Ceará para começar do zero a história da empresa. “Eu não conhecia nada do mercado em Fortaleza, saí oferecendo amostras de café para as pessoas conhecerem”, explica Bia. 

 

Com o tempo, Aline, que ajudava a namorada aos fins de semana em feirinhas como o Navegano e a Auê Feira, se tornou sócia. O negócio cresceu e deu frutos, hoje as duas têm uma outra empresa: a “Domine sua Empresa”, onde compartilham sua experiência com empreendedorismo e marketing digital com outros empreendedores. O segredo para conciliar trabalho e relacionamento, segundo Aline é o diálogo. “A gente conversa muito. E tem também que ver que, no fim, as duas têm o mesmo objetivo, que é fazer o negócio dar certo”.

 

Rafa, Ticiana e o bem servir

A história de Rafa e Ticiana começa em um cenário paradisíaco, o arquipélago de Fernando de Noronha. Ela trabalhava com decoração de eventos e viajou para ornamentar o casamento da prima. Já ele, era o chef do restaurante em que seria realizada a festa. Nem foi necessário pegar o buquê da noiva para esse encontro se transformar em uma relação de parceria e companheirismo que já dura há 9 anos, 3 filhos e 3 negócios.

 

Depois de Rafa se mudar para Fortaleza e ter algumas experiências profissionais por aqui, os dois decidiram empreender juntos. O caminho natural foi aliar a experiência de Tici com eventos aos conhecimentos de cozinha do chef. Nascia então o braço de catering do Acervo WP, que até então trabalhava apenas com decoração de eventos. Com a pandemia, o casal precisou se reinventar e agora também estão à frente do “Chef Rafa Sudatti para levar”, um delivery de comida autoral porcionada e embalada à vácuo, e “O Pratinho”, um negócio que resgata a tradição do pratinho da esquina na hora do almoço. “Eu tinha muito medo de a gente trabalhar junto, mas foi acontecendo. O ponto positivo é que a gente se completa muito. Mas tem um lado muito bom, porque aquela já é a pessoa que você escolheu para confiar”, explica Tici. 

 

Johann, Isabelle e a comunicação

Johann e Isabelle já se conheciam do mercado audiovisual e de amigos em comum, mas só se aproximaram mesmo durante uma campanha política em Macapá. O trabalho e a história do relacionamento se misturam, como conta Johann. “Eu era o editor e trabalhava com o material dela. Nossa conexão foi muito louca. Eu finalizava o material dela e as coisas meio que se completavam”. De volta a Fortaleza, outros trabalhos vieram,  e o tempo se encarregou de transformar a parceria em relacionamento. 

 

Aos poucos chegaram novos trabalhos e os dois foram vendo que se tornarem sócios era inevitável. “Sempre fui muito inseguro, muito tímido, e a Isabelle me trouxe muita segurança, ela fez com que eu acreditasse no meu profissional”, conta Johann. Em breve, empresa e casal serão quatro. Eles esperam o primeiro filho, Tiê. Além de namorados e sócios, os dois agora também serão pais. Para Isabelle, a gravidez veio como uma oportunidade de explorar outras áreas da empresa. “Com a pandemia, e agora por estar no terceiro trimestre, eu não pude fazer alguns trabalhos e fui caminhando para esse lado mais empreendedor. Tô muito ansiosa para essa nova fase depois que o bebê nascer”.